José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


vi uma ave voar
vi uma ave
de plaino
azul
bordeando o céu.

lá na casca,
lá no antro
do mundo,
onde o sol
custa a nascer
e a lua vem
em pranto.

lá longe
onde morrem
amores,
lá onde não
existem
pontes.

lá,
onde
moram
somente
rumores
dos falidos
de dor.

lá onde,
em sofregidão,
os homens
morrem cedo
e a solidão
nasce logo,
prateada,
mas encerada
de sós.

Mas é lá onde
a bondade e
a paz se cruzam
com o chumbo
das irmandades
de matar com vontade.

vi uma ave voar
vi uma ave voar...
e depois, zoada,
a vi morrer !
por um usual
caçador de dor !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 30/04/2017
Alterado em 27/07/2017


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras