José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


E Tio John, antes de morrer, falou coisas sem nexo, delirou, falou o que não suportava mais estar dentro dele.

Deu um ligeiro gemido, declinou a cabeça e adormeceu para sempre.

Quando jovem, numa tarde, ele me disse: "O tempo é formidável e inesquecível, o tempo é um só, formado de nódoas que envolvem seu corpo. Sua missão é cumprí-lo.

"As vezes - disse ele - a pérola, o diamante ou a esmeralda que você tanto procura ao largo das grandes montanhas garimpando seu espírito com olhos sedentos,um dia você vai encontrá-la aos seus pés, sem que nunca tenha percebido.

" Ninguém no mundo é livre ou independente. É engano pensar que alguém conquistou sua independência. Ao contrário, quanto mais se julgue livre, mais estará atado às cordas invisíveis que regem o mundo.... "

A ânsia pelo poder nos leva a abismos imensuráreis. Somos pobres assim.

Tio John morreu em paz e sozinho, num asilo,com uma perna amputada, esclerosado e principalmente invisível. Ninguém mais sabia que ele existia ou que estava vivo.

Estava esquecido. E morreu naquela tarde. E eu, repenso, sabendo que seu tempo estava apenas começando.

 
Muitos anos depois que fui entender. Nossa missão é compreender o tempo, vivê-lo intensamente. Às pérolas do espírito, que tanto procuramos, às vezes estão ao nosso lado e às vezes, passamos toda a vida sem vê-las.

 
José Kappel
Enviado por José Kappel em 13/07/2017
Alterado em 27/07/2017


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras