José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Saint-Michel, dezembro de 1989.
 
Meu querido Joseph,
 
O mês de dezembro já está chegando ao fim. Passei o Natal no campo, sozinha. O contato com a natureza trouxe um pouco de paz ao meu coração angustiado...

Todos os dias subia as montanhas para contemplar a imensidão. A neve chegou mais tarde esse ano. O frio e o vento são implacáveis.

A noite, o senhorio da pousada, onde me hospedava, mantinha o fogo da lareira aceso até tarde. Era lá, em completa solidão, que passava minhas noites... 

E, nas horas insólitas e silenciosas, meu pensamento vagava até você...

Por onde andas meu Joseph querido? Era isso que me perguntava todos os dias com os olhos marejados...

Que falta você me faz...

Até hoje não entendo sua partida...

Voltei ao silêncio e solidão de nossa casa em Saint-Michel. A noite avança silenciosa. Pela vidraça o céu escuro parece se encolher diante da minha tristeza...

O vento frio congela a dor em minha alma...
 
Sempre amor,
Marie.
José Kappel e Marie
Enviado por José Kappel em 08/04/2017
Alterado em 27/07/2017


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras