José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


um dia,
dia sim,
dia não,
chamei meu
pai de
guerreiro
e minha mãe
de flor
jasmim.

um dia chamei meu mestre de ocaso
e meu oeste de decepção,
meu Norte de esperança,
e o Sul
de solidão e
de eterno brando.
 
um dia descobri
a consternação
dos amores perdidos.
 
um dia procurei
esperança
e encontrei
pedras sem lei.
 
um dia,
cheio de sol
descobri
que rei não sou
e dentro da
esperança
sei que errei.
 
só encontrei
Fedras - rainha
de ninguém -
que me acolheu
com um lindo
amor.
 
e nesta
história,
vou
morrendo,
plausível,
sem vitórias,
mas
pensando
no meu
eterno
guerreiro
e minha
flor inesquecível...
José Kappel
Enviado por José Kappel em 08/04/2017
Alterado em 08/04/2017


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras