José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos

  Manchete do site do G1 desta segunda-feira :
 
" Delegado diz que 'tudo indica' que Exército fuzilou carro de família por engano no Rio
Militares que dispararam mais de 80 vezes contra carro e mataram músico de 51 anos prestaram depoimento ao Exército, que informa que o caso está sendo investigado."


Tudo Indica, Possivelmente, Provavelmente etc. são expressões que não se usam no jornalismo moderno. 

A manchete induz ao leitor a concluir que o Exército brasileiro foi às ruas e matou uma família.

É trabalho da Perícia determinar  as circunstância do ocorrido e ai fazer um comunicado oficial e balisado. Em poucos minutos deduziu-se que foram mais de 80 balas.

E é dever do jornal explicitar com o máximo de informações o que ocorreu.

Nunca  escrever " Tudo Indica .."

Ou o G1 mandou seus verdadeiros jornalistas  embora e, em seu lugar, deixou à cargo de algum grupo, cujo interesse não é salvar o Brasil e sim afundá-lo mais ainda.

É dever do G1 informar a veracidade dos fatos e divulgá-la de imediato. Se realmente " o Exército brasileiro " matou uma família com 80 balas, que se informe por meio de meios oficiais da Polícia o ocorrido, a primeira a registrar o fato, colher o mais fato e detalhes possíveis, e enviar aos órgãos judiciais competentes. E que se prenda de imediato " o Exército brasileiro."

Mas, então querendo afundar mais o Brasil.

Como o corpo editoral  da Globo mesmo diz, há no jornalismo o " princípio da neutralidade ", onde tenta-se evitar que jornalistas profissionais e de excelente nível, caiam na rede do proselitismo político. ( Redigido logo após que a notícia surgiu no site.)

 
José Kappel e G1
Enviado por José Kappel em 08/04/2019
Alterado em 08/04/2019


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras