José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos

Volta um dia, volta!
Se tudo que tenho
se resume em barganhas
de ouro, de galenas
esquecidas,
então sou pobre
de ti, amor.

Sua vida não tem
pesos, nem arruelas
de prata.
Sua vida retém
a cor do céu,
o brilho do beijo
o sincero do abraço!

Tenho saudade!
Saudade até da França!
Ah! Saudade de criança!
Saudade de morrer!
Saudade que avança,
saudade sem fiança!

Agora sou traído
pelos galões,
que são de vinho,
que são, agora, de vida,
mas que preparam minha
eternidade de vilão !
No sepulcro róseo do chão!

Volta um dia.
Volta!

Pois sou homem, guardião
de portas,
à procura de minha mulher,
que um dia se foi
sem resposta!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 20/07/2019
Alterado em 30/09/2019


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras