José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos

Porta-voz de Lucidez

Do lado do caos, pingentes de luz,
Do lado direito senzalas trabalhadas.
No lado esquerdo, pedaços de saias,
No meio, banhos de ouro, formas de gente.

Queria supor que se escorressem paredes, as teria!
Queria ser um herói americano para derrubá-las;
Queria ser forte e grande como sabe ser a cachoeira;
Ser valente, cavaleiro, pertinaz homem para enfrentá-las.

Queria ser artista de muitos muros
gladiador de sentimentos
pichador de espíritos solitários
e mancha permanente em corpos miúdos de emoção.

Queria isso tudo: queria mais do que o céu,
navegar entre estrelas, ser pássaro da tarde,
moça de dois véus e um longo
veludo de acariciar corpos e rostos.

Queria ser homem gentil e comedido
porta-voz de minha lucidez
e passar de fila em fila
entregando um pedaço de pão
aos pobres e mendigos
- nossos frutos sem horizonte.

Mas sou apenas casca de noz desprezada.
Pedaços da história que o tempo matou,
um herói do caos,
uma vitorioso dos desesperos !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 18/01/2020


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras