José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos

Minha canção não é nova
mas roça o rosto dela,
igual vento perdido,
procurando loucura de sua beleza.

Hoje, procuro que foi feito
da pequena mascote de cor rubra
que sumiu da nossa vida sem enfeites
e foi lá prá o fim do mundo.

Até hoje espero,
até hoje espero,

Com um ramo na mão
e uma louca saudade
de rever minha amada
mas vão.

Ela partiu pro mundo
a procura de outro amor
cheio de variedade e cor!

E eu, até hoje espero...
até hoje chorando...
pelo mundo que tanto amamos!
 
Sei de nome,
sei de olhar,
sei de tanto amar
que seu nome,
doce Maria,
tem novo dono
dono de todas ovações!

Faz falta sim....
Faz falta sim...

Espero com ansiedade
o dia de você voltar,
mas não traga piedade!

Vai ser dia de festa,
de carruagem emplunada,
vai ser de sol
vai ser dia feliz...

Faz falta sim...



Por isso espero até cansar,
que nossa oração
seja ouvida até no fim do céu.

E lá você me espera
para uma dia a gente voltar
a ser feliz,
voltar a ser um par de flores
nascida em seus lábios
sempre a palpitar!

Faz falta sim...
Mas te espero mesmo assim!
 
José Kappel
Enviado por José Kappel em 20/02/2020


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras