José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos



Volta!


Volta para nosso tempo antigo,
tempo de mãos dadas,
tempo sem hora,
hora... só de amor contigo!

A vida é uma só...
A vida é uma só...

Espero para te guardar
em meu coração aflito!

Volta, meu bem,
volta que de novo quero
nosso amor ac Minha canção não é nova
mas roça o rosto dela,
igual vento perdido,
procurando loucura de sua beleza.

Hoje, procuro que foi feito
da pequena mascote de cor rubra
que sumiu da nossa vida sem enfeites
e foi lá prá o fim do mundo.

Até hoje espero,
até hoje espero,

Com um ramo na mão
e uma louca saudade
de rever minha amada
mas vão.

Ela partiu pro mundo
a procura de outro amor
cheio de variedade e cor!

E eu, até hoje espero...
até hoje chorando...
pelo mundo que tanto amamos!
 
Sei de nome,
sei de olhar,
sei de tanto amar
que seu nome,
doce Maria,
tem novo dono
dono de todas ovações!

Faz falta sim....
Faz falta sim...

Espero com ansiedade
o dia de você voltar,
mas não traga piedade!

Vai ser dia de festa,
de carruagem emplunada,
vai ser de sol
vai ser dia feliz...



Toda vida....


Espero o sol, espero
a chegada da luar,
mas nada tem tanto esmêro,
quanto sua chegada na
minha esperança,
na casa de
todas as lembranças!

Hoje espero a vida,
igual a uma criança
que espera o doce.

Espero sua vida
que, de relance,
será nossa
eterna aliança,
dos brados,
sem nenhuma alcance !
 
 
Vou Partir
Minha canção não é nova
mas roça o rosto dela,
igual vento perdido,
procurando loucura de sua beleza.

Hoje, procuro que foi feito
da pequena mascote de cor rubra
que sumiu da nossa vida sem enfeites
e foi lá prá o fim do mundo.

Até hoje espero,
até hoje espero,

Com um ramo na mão
e uma louca saudade
de rever minha amada
mas vão.

Ela partiu pro mundo
a procura de outro amor
cheio de variedade e cor!

E eu, até hoje espero...
até hoje chorando...
pelo mundo que tanto amamos!
 
Sei de nome,
sei de olhar,
sei de tanto amar
que seu nome,
doce Maria,
tem novo dono
dono de todas ovações!

Faz falta sim....
Faz falta sim...

Espero com ansiedade
o dia de você voltar,
mas não traga piedade!

Vai ser dia de festa,
de carruagem emplunada,
vai ser de sol
vai ser dia feliz...

Faz falta sim...



Por isso espero até cansar,
que nossa oração
seja ouvida até no fim do céu.

E lá você me espera
para uma dia a gente voltar
a ser feliz,
voltar a ser um par de flores
nascida em seus lábios
sempre a palpitar!

Faz falta sim...
Mas te espero mesmo assim!
 
 
Mnha Vez de Dançar
 
Se é minha hora,
me tire prá dançar,
neste ritmo de
de amor que me bate
forte e agora!

Me beije,
agora e mais
dez!

Só quero alcançar,
seus beijos enlançar,
tudo em nome de
nosso amor eterno
nosso abraço sincero!

Maria, Maria,
de minha vida,
me tire pra dançar,
sua vida é meu espelho
e em sua voz quero amparar.

Meu amor por você...
Meu eterno amor...só você !
 
 
Sem Destino
 
Desculpe a intimidade,
que roça em nossos pés,
mas por mais que nos entendamos
força maior nos carrega ao tédio.

Aqui está tudo perdendo o azul
- nossa cor de tarde de sol que ninguém tem!

Perdendo o azul....
Perdendo o azul....

Aqui está morrendo a cor,
befazejas de lembranças e cor de vintém.


Agora, fico om o ruço de branco, o coração com destino
ao cinza.

E pergunto mais uma vez:
Maria, se sabes que houve uma vez
porque agora me deixas de vez?

Estou perdendo o azul....
Estou perdendo o azul....
 
Remanso
 
Chega de remanso no
pranto de nós dois;
perdemos a esperança
no jogo do amor
que se foi!

Amor que leva e tráz
amor que leva em paz!

Chega de remanso:
prá viver assim
só nós dois,sem pranto!

Prá viver assim
chega de remanso!

Sua estrada você seguiu,
e eu me perdi
por não me deixar achar.

Nnguém viu,
ninguém mais cantou,
nossa vida de remanso
que morreu sem nenhum
 
 
Percas
 
Não quero perder mais....
Não quero deixar
partir mais...

A vida, a vida de idas
e vindas, não deixa passar
mais:
hoje vivo de recaídas....

Não quero perder mais:
só me pegam rezando!
do que sobrou demais
de vazio e solidão
neste amor cheio
de participação!

Não quero perder mais...

Mas o mundo é demais,
leva a gente prá bem longe
do amor de nós dois.

Não quero perder mais...

Não quero perder mais....
o amor da gente que
está renascendo sem refaz!
 
 
Juras


Maria do Céu
Lá vem dona Maria
com juras de amores
escondida,
na saia redonda,
cheia de alegria.

Dona Maria já foi,
já foi há muito
tempo, dona de
meu amor eterno
da minha dor todo puro!

Dona Maria, ávida e lógica,
um dia resolveu partir:
foi prá bem longe
onde nem os pássaros
prosam!

Dona Maria...Dona Maria...
volta pros braços meus
aqui, pelo menos, tem lógica !

Dona Maria...Dona Maria
quero os braços teus....
 
 
Espera
 
Sei que nossa esperança
não arrefece.
Sei que nossa vida espera
um raio de sol que
seja nossa aliança
que enternece!

Não se afaste de
nosso amor!
Não se afaste
de nossa dor!

Espero por você...
na vida que me acontece.

E se algum dia você partir
que seja nobre e elegante,
mas nunca esqueça daquele amor,
que um dia foi seu
e noutro, morri por ele
ofegante!
 
 
Triste
 
Triste é voltar...
voltar sem ser amado.
triste é voltar...
sem ao menos ser alado!

Triste é voltar...
triste é voltar

Voltar de uma hora
prá outra,
sem ser esperado
pensando ser amado!

Triste é voltar...
triste é volta...

E encotrar nosso amor,
da vida inteira,
nos braços de outro!

Triste é voltar

E ser esquecido,
mesmo sendo valente,
pela muher que já foi sua vida,
e, hoje, é apenas
rosa murcha no jardim
dos descontentes...

Triste é voltar...
triste é voltar...
 
 
Ainda Espero
 
Serei assim,
serei sua espera,
para você vir e abraçar,
aquele que mais era,
- o maior de todos os amores -
nós dois perenes e juntos...

Os dois juntos...
nós dois amantes de
azul e branco - todo de cores.

Vem, te espero...
um dia você chegar....

Bate palmas e abraça,
relembra o amor severo...
tudo e por tudo....-

num grande eterno laço prá
quem ainda te espera.....
 
 
Amor Cego


Se olho
faço por amor,
amor cego,
por você te amo sempre
por você morro
quase de repente.

Se te procuro
faço por amor,
se duvida
traça em mim
a dúvida,
mas nunca me deixe
por pura loucura.

Se hoje sou assim
assim vou caminhando
por vagas trilhas
de espinhos, enfim!

Tudo por você,
que um dia foi embora
nem me avisando
que de todo amor,
nada sobrou,
senão ralos espinhos
me alisando.

Se hoje sou assim...
assim vou caminhando...
Se hoje sou assim...
prá sempre vou esperando.....
 
 
Palavras
 
Se te quero
quero agora,
se me amas
amas como te quero...

Se me falas
diga lá de amor,
só amor de verdade,
me tira da solidão,
e me enrola
com sua cor.

Se me amas
amas e me quer,
se te quero,
agora e sempre,
levo um beijo seu
prá sempre, meu
amor...

amor, de verdade,
prá sempre...
juro,
nós dois e o vento
e me acalenta
com o manto de sua piedade,
e na minha face alenta...
 
 
 
Mel

 
Vem lá
coisa bela,
vem cá
coisa de mel...

Vem cá,
vem cá,

Te quero,não te deixo
seu rosto, com cores
de ameixas;
sua face branca,
me atira sozinho
num mundo de dores.

Vem cá,
vem cá...

Hoje suplico por você...
Hoje me perco por você...

Vem cá,
Dá, pelo menos,
um beijo doce,
pra morrer feliz,
sem você, bela
mulher de lindas
trovas, sem emendas...

Vem cá..
Vem cá...
Para seu amor me dar....
 
 
Você
 
Vou ser você, toda vez
vou se toda hora...
vou ser amor
todo dia com muita cor...

Vou ser você,
vou ser angústia das horas,
vou ser maneiro na
ardência das despedidas
sempre perdidas.

Quero você a todo momento,
cada hora que passa,
cada minuto que segue.

Quero você....

Quero você igual ao alado
vento,
quero você em todos os lados.

Quero você
Hoje e toda vida...

Nunca deixe minha vida
só de idas!

Se perco,
não passo,
mas erro
sempre o caminho
de Malpasso !

Quero você,
pois devagar não
ando mais,
sem pensar que
estou num precipício
de vãos!
 
 
Dor


Dor....sempre dor,
quero viver com você!
Mesmo sem calor....

Paz...quero mais,
quero viver como
um pássaro e em seu
amar....

Dor que vem e volta
feito a vida de nós dois:
você prá lá,
eu prá cá.....

Paz...sempre paz
desejo prá você
um mundo de desejos
prá por fim aos
meus enjesos.

Dor...sempre dor,
faz a volta
e roda por cima,
com toda força e
muita cor!

Volta prá mim,
como ave querida,
como flor despreendida,
como o sol volta prá lua
você volta prá mim...

Mas, ferido, não me deixa..
Dor, sempre dor...
pois serás sempre
meu reluz de douradas ameixas....
 
 
Dourada
 
Dor....sempre dor,
quero viver com você!
Mesmo sem calor....

Paz...quero mais,
quero viver como
um pássaro e em seu
amar....

Dor que vem e volta
feito a vida de nós dois:
você prá lá,
eu prá cá.....

Paz...sempre paz
desejo prá você
um mundo de desejos
prá por fim aos
meus enjesos.

Dor...sempre dor,
faz a volta
e roda por cima,
com toda força e
muita cor!

Volta prá mim,
como ave querida,
como flor despreendida,
como o sol volta prá lua
você volta pra mim...

Mas, ferido, não me deixa..
Dor, sempre dor...
pois serás sempre
meu reluz de douradas ameixas....
 
 
Volta

 
Você é botão de rosas,
é flor de meu jardim,
onde todo dia oro
prá você voltar prá mim...

- Volta prá mim....

Onde passo me perguntam:
por onde anda seu botão de flores?
Eu digo lá: está junto
ao seu novo amado,cheio
de cores.

- E...volta prá mim...

Lá está ela,
bela e querida
nos braços de outro
vivendo,sei bem
quase esquecida...

E quase minhas orações
não tem mais sentido:
ela se foi prá sempre morar
no coração de outro homem...

- E sei...
- E bem sei
- Que nesta vida
não tem volta não!

E ela não volta mais não...
Pro meu coração....

E sei...
E bem sei...
 
 
 
Laços

 
Lanço a chave
de seu tesouro e
voam as aves
no ar...dos eternos
besouros.......

Procuro você em cada lado,
desta vida magoada,
mas lanço a chave,
toda enfeitada....

Me procura amor
de minha vida,
me acha em seu coração só de
pérolas...

Me acha
bem no fundo desta
triste canção...

Me acha amor....
Lá no fundo mas
não me deixes em dor....

 
 
Tristeza

 
Por onde quer
que você ande,
ande lá sem parar,
sem parar...

Por onde quer que você
ande,
viva assim,
de perfume em perfume,
que me faz
andar
sem parar,
mas cheio de ciúme....

Vá pelo mundo afora
me deixa sozinho
só com meu vendaval
de tristeza que me assola...

Vivo sozinho de amargura
nesta estrada da vida
sem parar...
mas cheio de ternura !

Por onde quer você ande
ande sem parar...
sem parar...
Lá onde a tristeza mora
estou eu agora....
sem parar...

 
Sou da Vez

 
Sou da vez
Agora e sempre
espelho de três.

Sou da vez
Sou da vez

Espero carinhoso
cada vez que você atravessa
meu coração
num embalo pomposo.

É minha vez
Toda minha vez

Por isso espero
ansioso você passar
voando como um pássaro e
no céu eu quero.

É minha vez
Sou agora da vez

Por isso, a felicidade
me bate
como bate nas águas
deste oceano imenso
cheio de igualdade
de amor e carinho

É minha vez
Toda minha vez

E vamos viver
até sem querer
este amor imenso
e se você chorar
tenho um par de lenços!

Nossa vez é agora
Agora, e não tem hora.

 
 
A Porta e a Madeira

 
Não preciso ter reino
para ter majestade
nem homem seguro e loquaz
pra viver qualquer infelicidade.

Dos campos as flores se expandem
a procura de nossos espaços
- que não sejam curvos -
para alimentar a beleza
e fazer a aldeia feliz e coroada de laços!

Não é preciso ser forte
prá ser alquimista
aos vales parto eu e quase a morte;
das raízes me aconhego otimmista.

Hoje se me esqueço nos calçadões,
debaixo de longos néons e postes alentados
de força e luz,vivo, mas sem medalhões,
procuro nas calçadas que fim afinal cobrado
teve eu eu?
Tão bravo,
tão passageiro!
Tão infeliz e árduo!

E se falo de passageiros
Sempre há alguma coisa se movendo,
ora prá cá, ora prá lá, por inteiro!

Tudo se move, imperceptível
e é até comovente
ver montanhas partirem
e rios se mudarem cativos!.

Levam séculos,lá isso
levam!

Mas o que já me importa
se meu reino de paz
faliu!E desbancou a corredeira!

E as bordas do mais belo rio
e meu espírito, jaz, consulvo
entre a porta e a madeira?
 
 
Pra Dançar

Se me misturo, faço parte,
se me isolo sou cola de arte
pé de sapato
corrida sem volta.

Se sou, caminho,
se paro, me perco,
se danço, valseio
no cordel dos avulsos
nas paredes dos homens
que de mim fazem tiro alheios!

Se ando assustado,
dizem que é por falta de abraço
Mas abraço eu tenho
Só que são só prá me dar calo.

Assim, sou um laço,
uma pedra no sapato.
Quem me olha, me pergunta
Mas existe tal homem tão pouco arguto?

Cansei de esperar:
o céu não é lá essa coisas não:
a gente pede e pede e vai até o sul,
e nada se produz,
até parece que os anjos
de férias estão,
nos comodatos felizes do azul.

Não posso comentar porque
se disser, apanho,
Se calar, me angustio no vasto parque!

E me pergunto, prá que isso
prá que aquilo.Prá que tanta arte?
Prá que tanto disparate?

Se é uma dança sei dançar,
mas poucos me chamam para tal.
Homem perdido, devasso
- dizem lá -
prá mim, que pouco tenho de pecar.

Mas sou teimoso igual a um varal de frivela
não há vento que me derrube -nem pensar!
pois bem preso estou nas arestas das pedras
igual a mim: preso a bessa na vida dela!

Mas sou homem moderno
de boa índole
e chamuscado
de empurrões
no vai que eles levam
no trás que me carregam!

E, de verdade,
me levam,
daqui, prá lá, de lá prá lá.
No fundo do poço fiquei eu
tentando me salvar
com as cordas que não jogaram.

E passo agora o tempo boiando
entre as pedras maceradas de fungos
boiando e boiando - igual a um peixe -
mas lá no fundo do poço sofrendo de dor e
olhando -
como é triste ficar sozinho
e pensando nas distâncias -
Igual a mim poucos existem
Pois sou forte e cantante
-Canto na dor e na ânsia!

Nasci prá toda vida, dançar !
E com você nos braços,s onhar!
 
 
( Textos redigidos em 2005, sem revisão )
José Kappel
Enviado por José Kappel em 20/02/2020
Alterado em 20/02/2020


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras