José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


cheguei sem nunca ter ido, 
fui ao contrário 
e cheguei torto, 
ai me disseram lá :
lombas ! isso é coisa da vida. 

hoje virei troco fácil, 
bloco de rascunho, 
pedido de favor, 
painel de voo 
cancelado. 

dói...dói. sim
se  for quimera de amor,
ou vinda de estrelas
sem fim.


e é dentro desse poço 
sem encanto, 
que vejo musgos 
do céu azul, 
mas só sei gritar 
por ontem ! 

corram e 
tentem 
me fazer 
socorro ! 

só porque ela virou 
estrela de outra ferina.
de pano dourado e quente, 
sempre querida
mas, feita carmelina  das entes

eu ? sou 
homem da hora, 
sempre passando 
na vida sem glória ! 

e lá me dizem 
pelas ruas: 
lá vai o homem 
dos sozinhos ! 


 
José Kappel
Enviado por José Kappel em 24/03/2020


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras