José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Não é que minha mulher resolveu fazer plástica?

Não é que ela aprendeu a dirigir?

Ela já faz compras sozinha !

Ela tem sua própria costureira.

Não veste qualquer coisas não! Manda fazer.

Não é que a mulher fez lipoaspiração, não morreu, e ficou mais magra? Eu a chamaria de mulher superaspirada.

Também tem seu próprio emprego numa multinacional !

Fala cinco línguas fluentemente!

Não quer filhos pois diz que ainda é cedo.

Sai de casa às 7h e só volta às 9h da noite.

Não gosta de televisão porque diz que é medíocre.

Não gosta de música porque lhe faz dormir!
Vive com o celular na mão.

Uma vez por mês dá uma festa crucial de nulidades lá em casa: para os amigos e seus outros amigos. Uma zona!

Minha mulher tem dois computadores, 3 celulares e
3 linhas de telefone em casa.

Mulher de rara inteligência, formada em Direito e Filosofia.

Minha mulher não vive no mundo da lua, nem da terra !

Ela resolve, no trabalho, o que muito homem não resolve.

Tenho uma grande admiração por minha mulher. É bondosa e caridosa.

Minha mulher é um fenômemo!

Tanto que eu jamais conseguiria viver com ela.
Nem mais um segundo.

Ela não tem sensibilidade: acha a poesia uma tolice, não se sensibiliza com o nascer do sol, com o plaino de odores de um jardim, não vê a beleza que o mar demonstra, não sabe o que é o pôr-do-sol, não gosta de montanhas e foge de pássaros!

Jamais conseguiria viver com ela.
No fundo, bem no fundo, é fascinada pelo nada!

Por isso, estamos separados há 3 anos.
Sinto falta? Nem um pouco!

Quero mais que ela vá catar seus sonhos nos passageiros infinitos de um trem sem rumo
e em paz me deixe.

Mulher fenomenal assim, nem pagando pra viver com ela !

Viver com uma mulher assim é procurar o nulo e achar o zero !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 12/12/2020
Alterado em 15/12/2020


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras