José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Mulher de Flores

Nesga flor que me aproximo,
que faz de mim o seu próximo,
que lasciva a carne
e, de ânsias, não me deixa morrer.

Auréola de jardins em flor,
que altiva pela manhã,
jarras e jarras de odores,
e torna mais festeira minha casa
de pobreiro.

Linda manhã que cativa
ao redor da qual gira o puro dever
de viver meeiro de suas pétalas.

Tiburcíos ornamentam meu corpo
como flores e corpos se misturassem
a procura do que não sabem,
mas se cativam,
porque, no fundo, vão plainar
no céu mais profundo
sob o sol que fica
no fundo do além.

Não importa se tenho pouco.
Pouco é falta de tato.
E, nesta manhã,
faço do espaço de flores
o meu mundo.

Tenho fundos de certeza
que o corpo dela vive aqui,
à sombra do mais belo ramo.
Tenho certeza,
que o corpo dela está atado ao meu,
em talos invisíveis, em ramos
de bentoriais amor e carinho !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 16/01/2021
Alterado em 19/01/2021


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras