José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Santuário do Amor

Não costumo pensar
quando o pensar é você,
mas a sinto até cansar.

E, lembro deste corpo mágico,
feito ardósia rara,
com vitrais onde
flutuam sedas.
Deste corpo igual
ao meio sol do dia,
igual à ave mágica,
que voa carente
no esplendor do céu.

Ele foi feito
com pranto
de deusas, e
tem o bastante
pra entoar
mágicos cantos.

Pois, lá nas
manjedouras,
ainda o desejo.

Tenaz, faço sua alegria,
junto a sua lágrima,
sua dor, seu passado
que mistura doce e sal.

Pois, amanhã nos vemos:
você vestida de anjo.
Eu, à sua espera,
no santuário das estrelas.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 16/01/2021
Alterado em 19/01/2021


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras