José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


É hoje que comemoramos dois anos de partida: você do Norte, eu do Sul.
Relembro do carinho que você me festejava e a esperança que você me impunha.

Depois que partimos: eu a ficar e você fugindo, correndo alada, as coisas se multiplicaram em solidão e vesga iniquidade.

Depois que a perdi, poucas razões tenho para sorrir ou ver o pelejo dos pássaros.

É verdade, estou afainando aos poucos, só porque não quis entender que você era uma pessoa dentro de outra.
O espírito, o caminho e as estrelas sempre se conjugando em suas mãos.

E eu que sempre disso queria, quanto conquistei, nunca soube ter.

Hoje, me arrependo. Mas favas! Pra que servem os confessionários? 
Eles me perdoam... mas, não tiram a dor!


 
José Kappel
Enviado por José Kappel em 30/01/2021
Alterado em 30/01/2021


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras