José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Quero você de maneira invulgar; quero você de maneira ociosa, onde o ano torto, deixa cair a longevidade em meus braços.

Quero você de maneira morosa, onde seu corpo expande luzes no meu; onde as aves passeiam por seus olhos e o seu nascer do sol replanda em meus braços como uma ave sedenta por mil amores de gorjeio, num trinado de infindáveis anos!

Quero você, por amor, bravura, companhia, devoção e que não me deixe nunca. 

Porque você é a voz, a chegada e a partida. É o início de meu mundo.

Envolta com a malaguenha dos céus!

Quando eu partir, segundo o malfadado destino, deixe uma flor em algum lugar pra lembrar daquele que viveu em você o milagre do esplendor de ser mulher.

Da mulher que você é -  bela - do condado de encanto.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 22/02/2021
Alterado em 25/02/2021


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras