José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Gostaria de ser livre
mas não deixam.


Se mandam deitar
eu deito,
se mandam eu ficar em casa
eu fico.


Virei protocolo,
crasso boneco,
de carne e espírito.


Não sou dono
de mim.


Sou vitrine
e portfólio.
Sou protótipo
da angústia.


Virei uma reta  torta
de círculos,
onde o poder
é forte e
vesto preto.


É meu luto,
é minha vida,
que não é
minha vida.

 

Mas de longe, ou de perto,

me magoa,ver os fios de ouro,

escorrerem no palavreado

gótico, cheio de louros

ferrenhos de poder.

 

José Kappel
Enviado por José Kappel em 29/01/2022
Alterado em 01/02/2022


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras