José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


Sou mestre de obras e
às vezes faço encantos.

 

Às vezes faço desencontros,
às vezes imagino venerar
a imagem mais linda
que a face da terra
já viu e refazê-la para mim.

 

Seus traços me pertubam,

sua vida me refaz,

por isso sou

obreiro

dos sonhos.

 

 São encantos de pedras
são vidas  que me

chamam à vida.

 

Um dia terei o dom
de mirar em você
e erguer a mais bela
estátua que o mundo já viu.

 

Mas, de todo, não faço encantos.


Sou perecível,
vou basco,
por isso, de todo grado,
posso fazer sua imagem,
mas sua vida não tenho dono.

 

E se perco sua vida,
perco a minha.

 

E se perco o dom do calor
de suas mãos;
perco a vontade de viver
e cheio de pavor,
acredito,
sou mero mestre das pedras,
sem vida.


E minha obras se misturam

em luzes e pedras !

É você nascendo em

algum lugar

dentro do meu tempo.
 

José Kappel
Enviado por José Kappel em 09/09/2022


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras