José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos


De repente é o céu,
de repente, o inferno!

 

São duas vidas
cooperando para
o mutilo íntimo,
neste caldeirão de farpas
que, se de amor não tem nada,
sempre pipocam as  desavenças 
todo-cada dia ! 

 

Cada de repente!

 

Que fazer?

O que nos uniu,
agora desata;
o que era luz
agora virou
saco de lixo em lata!

 

Se queres saber a saída:
ela tá na porta!
Se abres, foges,
se fechas, corre!

 

Prepara 3 quilos de malas
sem cor,
e parte repentino,
pro mundo do lado de lá,
pois o de cá virou sala
de dor!

 

Azar!

Virou miniatura de pleno
inferno !

 

Mas cada mulher! 


Uma hora, pula na cama igual gato;
noutra, foge do homem igual traça!

Entender mulher!
Acho que só muita reza.

 

José Kappel
Enviado por José Kappel em 16/09/2022
Alterado em 19/09/2022


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras