José Kappel

Um amor sobrevive ao outro.

Textos

Tarja Noite
fui visitado pela noite,
num dia sem sol,
fria, caramelada de
puro negro,
áspera igual ao
sopro do vinho
que suga a vida  
de dobros.

visita pouca, rápida,
escorredia igual
água pura, ávida
de egos
e muito empaledecida.

lá me deixou
de avisos
de  pobre escrita:

na hora certa,
disse,
você se tornará
igual a mim,
- castigo dos cegos -

de meu veneno
eu te entrego a própria
morte,

pois desta noite
nem da própria amada
poderá, de alento,
sonhar !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 13/12/2007
Alterado em 16/12/2007


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras